livro-a-libertacao-2016-2

Este livro de Norberto Keppe, considerado terapêutico em virtude de curas constatadas apenas com a sua leitura, é uma das obras usadas no Trilogy Institute.

Imagine o leitor que vai a uma escola aprender uma língua e, com o estudo de textos terapêuticos no idioma escolhido, faz, ao mesmo tempo, uma forma de psicoterapia. Pouco a pouco, nota que fica mais calmo, mais alegre, começa a melhorar no trabalho, estudo, relacionamentos e até na saúde em geral. Será isto possível?

“A finalidade de nosso método não é apenas o ensino, mas propiciar uma terapia”, disse Norberto Keppe, o criador da ciência da Psico-Sócio-Patologia e do Método Terapêutico Trilógico, utilizado há 20 anos com muito sucesso em São Paulo, no Trilogy Institute.

“A finalidade do método é para a pessoa aprender não só mais rápido e melhor, mas também adquirir mais equilíbrio, porque mostra um estudo sintético de todos os universais certos”, explicou Keppe.

“É um método para evitar muitas doenças que a pessoa tem por entrar nessa tensão muito grande com conhecimentos parciais e até errados, ou melhor, em sua maior parte errados”, disse ele.

“Quando a pessoa vai estudar no Trilogy, já o intuito da escola, sua estrutura, leva o aluno a uma visão universal, que é a mais adequada, e aí ele melhora, mesmo que não tenha intenção de fazer terapia. Por isso a gente chama de escola terapêutica.”

De acordo com Cláudia Bernhardt S. Pacheco, assistente de Norberto Keppe, os cursos terapêuticos, baseados na ciência da Psico-Sócio-Patologia, têm sido aplicados no Trilogy – e são utilizados com muito êxito em escolas infantis até o ensino médio, além dos cursos de pós-graduação do Instituto Keppe & Pacheco.

A razão para esses bons resultados é simples: quando a pessoa se acalma e fica mais tolerante para lidar com seus problemas e dificuldades, seu corpo relaxa e ela melhora o sistema imune; livrando-se de doenças causadas pelo nervosismo (estresse).

Os conceitos da medicina psicossomática de Norberto Keppe são muito usados para os estudantes perceberem isso, conseguindo um desenvolvimento impossível de alcançar com métodos tradicionais de ensino, voltados exclusivamente para o intelecto.

Tive um crescimento na forma de pensar e de falar em inglês além do esperado.
Marcos Ludwig, engenheiro

“O método é muito diferente, é gostoso de aprender falando de artes, filosofia e sobre os nossos sentimentos. Você aprende a viver!”
Janaína Furlani, publicitária